Quem está começando a costurar se apaixona pela tamanha variedade entre os tipos de tecidos que existem. Não tem como evitar! São tantas cores, estampas e texturas, que é fácil ficar encantada… e, ao mesmo tempo, um pouco perdida!

Então, você acaba comprando tecidos porque gostou da estampa, mas sem saber exatamente para que vai usar. E quando decide… Aí o tecido não é ideal. Ou é muito molinho, ou transparente, ou elástico.

Levante a mão a leitora das mais experientes, que nunca passou por isso. Algumas de nós até estamos com tecidos parados no armário, ainda sem saber exatamente para que usar aquilo. – Não, é? Pode confessar que a gente não julga!

É por isso que a gente decidiu fazer uma listinha com um guia básico sobre 10 tipos de tecido. Depois dessa, você vai saber exatamente qual tecido escolher para a peça que você quer produzir.

Vamos nessa?

Diferença entre os tipos de tecido

Ao ver ou tocar um tecido, mesmo a pessoa mais iniciante consegue identificar algumas características que o diferencia de um outro tecido.

O peso, a textura, a flexibilidade, a temperatura que ele passa, se ele desliza ou é mais áspero. Tudo isso tem a ver com duas razões principais: a composição e a técnica utilizada na trama.

A composição

Os tecidos podem ser produzidos com fibras naturais ou sintéticas.

Naturais: algodão, linho, seda, fibra de coco ou cânhamo.

Sintéticos: poliéster, poliamida, elastano.

A técnica

Trançamento: Existem tecidos de trama mais fechada, e outros de trama mais aberta. Isso significa que, ao trançar os fios no tear, cada um dos fios transversais ficaram mais próximos ou mais distantes uns dos outros, formando uma tela com mais ou menos “poros”.  Isso pode adicionar ou evitar transparência, ou deixar o tecido mais leve – ou mais pesado. A técnica é usada para produzir tecidos planos, que não têm elasticidade.

Lado a lado: Os fios desse tecido são dispostos horizontalmente. Em vez de serem todos entrelaçados nos fios verticais, como o tecido plano, eles são entrelaçados lateralmente um ao outro. Isso dá elasticidade ao tecido, e é assim que se produz a malha.

Espessura: Além disso, existem ainda variações na espessura de cada fio utilizado para compor a trama. O próprio tricoline, pode ser produzido com fios 40, 50, 60 e até 80. Quanto mais fino o fio, mais fechada deve ser a trama.

10 tipos de tecido diferentes:

Vamos ao que interessa na prática?

Aqui você vai conhecer nossa listinha e aumentar seu conhecimento nesse universo da costura! Vamos lá?

Tricoline

Esse é um tipo de tecido incrível! Ele é super versátil, e funciona bem tanto para costurar à máquina e quanto para colar. Não desfia e fornece ótima sensação térmica, porque é 100% feito de algodão.

O tricoline é utilizado para fazer camisas, saias, vestidos, batas, cartonagem, artesanatos em geral. Este é um tecido plano, portanto não tem elasticidade.

Ele não desliza, então é perfeito para iniciantes. E também por esse motivo é o preferido das artesãs e artistas que produzem patchwork.

Neste outro texto aqui, a gente explica tudo sobre o tricoline.

Malha

A malha é um tecido super leve e macio. Ela é feita com tecidos 100% sintéticos, mas mesmo assim consegue permitir uma boa transpiração através do tecido.

Ela é um tecido ideal para fazer roupas que serão usadas em movimento! Isso porque a malha tem certa elasticidade e permite um conforto e liberdade bem grandes para quem está usando.

Roupinhas infantis e para pets, pijamas, camisetas, saias – tudo o que for confortável e não exigir muita “pompa” pode ser produzido com esse tecido.

Cetim

Este é um tecido um tanto quanto refinado. Ele apresenta um brilho super característico! Mesmo que você não o conheça, já deve tê-lo visto por aí em roupas de festa.

O cetim é também um tecido sintético como a malha, porém, é produzido com a técnica de entrelaçamento, então não tem elasticidade. Para driblar essa inflexibilidade e trazer maior conforto para alguns tipos de peça, existe a variação do cetim que leva elastano na composição.

Então este é um tecido que pode ser também bastante versátil – basta saber escolher a variedade certa dele.

O cetim charmousse é 100% poliéster, tem um brilho mais intenso e é mais encorpado. Ele é ideal para roupas de festa, saias que precisem de alguma estrutura e caimento bonito, lenços e forros. Já o cetim com elastano mantém o brilho, porém é mais leve, e tem o caimento menos estruturado. Ele é utilizado para lingeries, pijamas, camisas e vestidos mais ajustados (já que contém elastano e vai permitir uma amplitude de movimento maior).

Canvas

Esse é um tecido super-resistente! Ele existe nas versões natural ou sintética. (Aqui no Panólatras trabalhamos apenas com a versão 100% algodão!).

Sua textura fica algo entre um tecido resistente e uma lona – e ele não tem elasticidade. Como o canvas é bastante reforçado, esse tecido é utilizado principalmente para estofados e bolsas.

Quem já praticou também a pintura, sabe que o canvas também é a matéria prima principal para painéis e quadros. Hoje em dia, com as estampas digitais, esses quadros e painéis de canvas ficaram ainda mais fáceis de fazer, mesmo que seu forte não seja a pintura!

Córdoba

Este também é um tecido muito resistente e reforçado como o Canvas. A principal diferença entre eles é que este tecido é 100% sintético, composto por um misto de poliéster e poliuretano.

Suas aplicações principais são para estofados, bolsas, estojos, cortinas, jogos americanos. Ele pode ser costurado, mas também apresenta ótimos resultados no uso com a técnica da cartonagem.

Gabardine

100% sintético, este tecido é utilizado principalmente para a confecção de roupas de alfaiataria. Calças e casacos são peças que caem muito bem com a gabardine, também chamada de gabardina.

A maneira com que é tecida faz com que a gabardine vista de perto tenha risquinhos paralelos, que oferecem uma textura diferenciada às peças.

Ele é um tecido bastante rígido, mas macio ao toque. Seu toque ligeiramente acetinado e sua resistência fazem dele um tecido ótimo para aplicações na decoração, como em almofadas e capas de sofá.

Microfibra

A microfibra já explica muito de si mesma só pelo nome. O tecido é composto de fios muito finos de poliéster. Na prática, isso produz um tecido bastante resistente e sem elasticidade.

A microfibra é muito utilizada para roupas esportivas e de praia, já que tem o toque similar ao nylon, mas é mais gostosa de usar.

Mousseline

A mousseline é um tecido sintético super fininho, com transparência, que apareceu com força nas últimas estações. Ele foi muito visto em vestidos e saias com forro opaco, e corpo externo de mousseline, que permite a visão do forro.

Seu toque é bastante macio, o que propicia um caimento maravilhoso! Por isso ele é muito utilizado em vestidos fluidos e esvoaçantes. O melhor desse tecido é que, além de lindo, ele é difícil de amassar – e que bom! Já que ele não é muito resistente ao ferro. Portanto: tenha cuidado redobrado ao passar suas produções feitas com mousseline!

Oxford

Esse é um tecido plano muito resistente também. Ele é 100% poliéster, e não amassa e nem encolhe.

Por esse motivo, é muito utilizado para a produção de jalecos e uniformes – uma vez que eles são usados diariamente, e lavados com frequência.

Ele tem uma variação chamada Oxfordine, que é um tipo de Oxford, só que mais leve e gostoso de usar.

Os dois podem ser usados para as mesmas finalidades. Você só precisa saber que o Oxford é um pouco mais estruturado e o Oxfordine tem o caimento mais leve.

Vellum

Este é outro dos tecidos planos no grupo dos mais resistentes. Sua maior diferença para os outros tecidos grossos como ele, é que seu toque é acamurçado, então ele serve para fazer pufes, sofás e revestir cadeiras, de maneira ainda mais confortável e gostosa!